PlayStation 2: meu top 10 de jogos

12 de março de 2020

Em março, o PlayStation 2 completou 20 anos de lançamento. Sem dúvidas, o console da Sony foi um marco na infância e adolescência de muitas pessoas. Inclusive a minha.

Recentemente, vi diversas listas com os jogos mais marcantes do saudoso PS2. Sendo assim, resolvi fazer a minha lista com os 10 títulos que me marcaram – e algumas menções honrosas.

Tony Hawk’s Underground (2003)

Sou bem fã da franquia Tony Hawk, mas tenho um carinho especial pelo Undergroud. Digamos que ele é um dos jogos responsáveis por formar meu gosto musical. Com a trilha sonora dele, conheci diversas das minhas bandas favoritas.

Além disso, o jogo do PlayStation 2 tinha uma história que mostrava o personagem lutando para ser um skatista profissional. Ele enfrentava as sabotagens do “melhor amigo” Erick Sparrow e conhecia grandes estrelas do skate. Para mim, isso era genial!

Menção honrosa: Tony Hawk’s American Wasteland (2005) foi o motivo para eu acordar cedo sábados e domingos na época da faculdade.

Devil May Cry (2001)

Se o Tony Hawk’s Underground formou meu gosto musical, Devil May Cry me ensinou ser sarcástico. No caso, Dante Sparda foi meu professor nesta divina arte da comunicação.

Provavelmente, esse foi o jogo que eu mais joguei na minha vida. Terminei ele diversas vezes no New Game Plus, detonando todos os demônios e outros inimigos. Era basicamente uma terapia para mim.

Menção honrosa: Devil May Cry 3: Dante’s Awakening (2005) era muito difícil, mas igualmente incrível ao jogo de estreia da franquia.

The Hobbit (2003)

Provavelmente, o jogo mais desconhecido desta lista sobre PlayStation 2. The Hobbit foi um título de plataforma lançado na mesma época em que os filmes d’O Senhor dos Anéis estavam no auge. Apesar de querer atingir o público infantil, ele era muito difícil.

No entanto, tenho ótimas lembranças desse jogo. Especialmente de me reunir com o meu amigo Luciano para enfrentar os goblins e resolver puzzles complicadíssimos. Sempre com o livro do J.R.R. Tolkien do lado para nos guiar nesta aventura.

Se eu pudesse, jogaria ele novamente!

The Lord Of The Rings: The Return of King (2003)

Como dito, no começo dos anos 2000, O Senhor dos Anéis era uma febre. Então, a Eletronic Arts lançou uma série de jogos inspirados nos filmes e nos livros. The Return of King foi um dos títulos de PlayStation 2 que saíram nesta leva.

Ele reproduzia diversas passagens do filme O Retorno do Rei (2003) e também inseria partes que só apareciam nos livros. Minha alegria na adolescência era jogar com o Legolas, usar as cimitarras, o arco e flecha para matar os orcs e trolls.

MTX Mototrax (2004)

Como fã de motocross e supercross, MTX Mototrax era minha oportunidade de realizar o sonho de ser um piloto dessas modalidades. Pelo menos, no PlayStation 2. Além disso, tinha o modo freestyle com vários truques impossíveis.

Lembro de passar várias tardes de férias escolares jogando esse jogo. Então, eu só parava para ver algum programa da MTV e depois voltava para as minhas corridas na lama.

Need For Speed Underground (2003)

Muita gente prefere o segundo jogo da série Underground, mas eu sempre vou ficar com o primeiro lançamento. Com a febre do filme Velozes e Furiosos, a possibilidade de tunar os carros era um desejo de muitas pessoas também.

Além disso, o jogo tinha uma excelente trilha sonora que também me apresentou várias bandas que fazem parte das minhas playlists até hoje. Passei muitas raivas com esse jogo, mas também me deu várias alegrias.

Burnout 3: Takedown (2004)

Burnout 3 foi um dos primeiros jogos que comprei para PlayStation 2 e me divertiu tanto quanto o NFS Underground. Isso porque, às vezes, a corrida era apenas um detalhe. Era mais divertido entrar no modo destruição e criar um grande acidente, por exemplo.

Os carros também não eram modelos reais, porém alguns deles foram inspirados no filme Velozes e Furiosos. Então, isso dava um charme a mais para o jogo.

Menção honrosa: Auto Modelista (2002) era um jogo incrível de corrida com os gráficos cel shading. Dava a sensação que você estava em um desenho animado.

The Sims Bustin’ Out (2003)

No começo dos anos 2000, eu não tinha um PC que fosse bom o suficiente até para rodar The Sims. Então, quando Bustin’ Out saiu para o PlayStation 2, minha vida ficou completa.

Penso que ele era até melhor que a versão PC, porque era preciso fazer missões para conseguir ser promovido no trabalho. Então, o personagem saia da casa da mãe, ia passando por diversas casas até conquistar uma gigantesca mansão.

Franquia Guitar Hero

Eu já estava na faculdade e apaixonado por música quando comprei outro PlayStation 2 e Guitar Hero foi um dos meus passatempos preferidos na época. Cheguei até juntar um dinheiro para comprar o controle em formato de guitarra.

No fim, comprei/baixei quase todos os jogos possíveis da franquia para poder jogar diferentes músicas. Ainda assim, até hoje não me conformo que nunca consegui fazer 100% em She Bangs The Drums do Stone Roses no Guitar Hero 3 (2007).

GTA San Andreas (2004)

Sinceramente, lembro de poucas coisas de GTA San Andreas. Consigo recordar que os cenários eram gigantescos para época do lançamento e como isso foi revolucionário. Além disso, era incrível sair andando com a moto Sanchez.

Apesar disso, lembro muito pouco da história. Talvez eu tenha que jogar novamente para explorar o roteiro da devida forma e atenção. No entanto, era uma obrigação ter um PlayStation 2 e ter esse jogo.

Menção honrosa: GTA Liberty City Stories (2007) é uma das minhas frustrações da vida gamer, porque nunca consegui terminar esse port do jogo original para PSP. 

E aí? Qual foi seu jogo preferido do PlayStation 2?


Comentários

O Mundo Sem Joey - Comentários